segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Quando as nuvens partirem, o céu azul ficará

O tempo dói, eu sei. Mas o tempo tudo cura, dizem. E o tempo traz tudo o que fizeste com ela, mas agora a sós. Não é o mesmo, com ela vias a felicidade em alta definição, captando surpreendentemente todos os pedaços de alegria que te rodeavam. Hoje vês com o olhar nostálgico de quem já viveu ardentemente, pela metade. A música, o momento, um registo fotográfico do qual te sentes incompleto. O tempo dói. Mas dá tempo ao tempo, mostra-lhe que sabes esperar com a mesma serenidade com que soubeste ter. Assim como o tempo a trouxe também a levou. Pelo meio deixou-a perdurar, conquistando-te de norte a sul. Chegaste a pensar que era ela o tempo que te restava... Ela dói-te. A sua dor ainda te corre nas veias porque o teu coração ainda a tem lá dentro. Mas é tempo de te libertares. Um amor doente apodrece um coração.
Chegou a hora, faz um esforço, por mais hercúleo que te pareça. Olha para o céu e vê o tempo. Ela foi sol, mas um dia toda a chuva parará. Acredita que sairás do Inverno frio em que caíste. Ela é a marca do tempo, mas luta, afinal o tempo é teu, tudo o que te resta. Não a deixes roubar-te a única coisa que ficou. Sorri e vive, liberta-te do que te tornaste. Porque "quando as nuvens partirem, o céu azul ficará".

Sem comentários:

Enviar um comentário